Receitas de remédio caseiro para depressão

A depressão é um problema muito sério, que afeta milhões de brasileiros todos os anos. Não existe uma cura completa e fácil para o problema, mas algumas receitas de remédio caseiro para depressão ajudam a minimizar os sintomas.

Atenção: como dissemos no primeiro parágrafo, a depressão é um desequilíbrio químico muito sério ou fruto de algum trauma psicológico. Por isso, ela deve ser tratada com remédios antidepressivos passados por um psiquiatra e com sessões de terapia com um terapeuta.

Os remédios que citaremos aqui ajudam apenas a lidar com alguns sintomas ou tornar a luta contra a depressão um pouco mais fácil, mas não substituem o tratamento oficial.

Siga lendo para conhecê-los!

Receita de remédio caseiro para depressão – Ômega-3

Os ácidos graxos de gordura poli-insaturada do Ômega-3 têm relação com os riscos de depressão. Segundo um estudo americano, pessoas com baixo nível de químicos encontrados no Ômega-3 tem maior risco de depressão.

Portanto, é interessante tentar aumentar a ingestão de Ômega-3 na sua receita. Como você faz isso? Fácil, comendo peixes.

Confira abaixo alguns alimentos e peixes com alto índice de Ômega-3:

  • Sardinha (3,3 gramas de Ômega-3 a cada 100 gramas);
  • Arenque (1,6 gramas de Ômega-3 a cada 100 gramas);
  • Salmão (1,4 gramas de Ômega-3 a cada 100 gramas);
  • Atum (0,5 gramas de Ômega-3 a cada 100 gramas).
  • Sementes de Chia (5,06 gramas de Ômega-3 a cada 28 gramas);
  • Sementes de linhaça (1,6 gramas de Ômega-3 a cada 20 gramas);
  • Nozes (2,6 gramas de Ômega-3 a cada 28 gramas).

Além de ajudar a prevenir a depressão, o Ômega-3 é importante para várias outras condições, incluindo a perda de memória, dores na TPM, endometriose, diabetes, colesterol e muito mais.


Remédio caseiro para depressão – zinco

Você sabia que o zinco é um nutriente muito conectado com as funções cerebrais, como o comportamento e o aprendizado? Segundo uma análise da Psiquiatria Biológica, pessoas com baixos níveis de zinco no sangue tem mais chances de ter depressão.

Por isso, é recomendado que você coma mais alimentos com zinco ou mesmo tome suplementos do nutriente no seu dia a dia.

A Nutrition Neuroscience recomenda que 25 miligramas de suplemento de zinco por dia, durante 12 semanas, já são o suficiente para ajudar a reduzir os sintomas da depressão. Lembrando: não vai curar você, mas ajudará a lidar melhor com os sintomas.

Além dos suplementos, existem outras formas de aumentar sua ingestão de zinco. Alguns alimentos são ricos no nutriente, confira:

  • Ostras cozidas (39 mg de zinco a cada 100 gramas);
  • Carne de boi assada (8,5 mg de zinco a cada 100 gramas);
  • Peru cozido (4,5 mg de zinco a cada 100 gramas);
  • Amendoim (5,0 mg de zinco a cada 100 gramas);
  • Sementes de abóbora (7,3 mg de zinco a cada 100 gramas).

Remédio caseiro para depressão – erva-de-são-joão

A erva-de-são-joão é uma planta usada há muito e muito tempo para tratar os sintomas da depressão na Europa.

Ela ajuda, pois, está ligada com o aumento na produção de serotonina no corpo. Talvez você já saiba disso, mas a serotonina é um hormônio responsável por nos sentirmos bem e pessoas com depressão tem baixo nível de serotonina. Aliás, é exatamente assim que alguns remédios antidepressivos funcionam: eles aumentam a produção de serotonina no corpo.

Segundo o National Institutes of Health do Reino Unido, ainda há alguma disputa sobre o uso da erva-de-são-joão para tratar os sintomas da depressão. 29 estudos mostraram que ela é eficaz no tratamento de sintomas moderados da depressão (não ajuda em casos extremos), mas outros dois mostraram resultados piores.

Seja como for, vale a pena testar e ver como a planta atua com você. Ela pode ser consumida em chá ou em suplementos (o que é mais indicado).

Vale lembrar que a erva-de-são-joão influencia no uso de muitos remédios, como anticoagulantes e anticoncepcionais. Fale com um médico antes de usar os suplementos.

Seguindo essas receitas de remédio caseiro para depressão, você notará uma diminuição dos piores sintomas da doença. Porém, não substitua o tratamento oficial com essas soluções. A ideia é atuar em conjunto, ok? Depois, conte-nos nos comentários o que achou dos resultados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *